Recente decisão em favor da Microsoft reforça segurança de dados armazenados na nuvem

Empresas de tecnologia dos EUA ficaram felizes com o êxito da recente oposição da Microsoft à exigência do governo dos EUA de acessar conteúdo de e-mail armazenado em um servidor na Irlanda.

Durante todo o caso, a Microsoft recebeu amplo suporte, incluindo a apresentação de pareceres solidários por parte de 28 empresas de mídia e tecnologia, 23 associações comerciais e grupos de defesa, 35 profissionais de Ciências da Computação e do próprio governo da Irlanda.

A decisão histórica demonstra claramente que o governo dos EUA não pode mais fazer uso de mandados de busca sob o Stored Communications Act (Ato de comunicações armazenadas) para acessar servidores estrangeiros e obter dados pessoais que estejam armazenados em outros países. Essa decisão também ajuda a tranquilizar clientes globais de empresas de computação em nuvem sediadas nos EUA sobre a segurança de seus dados.

Em uma declaração enviada por e-mail, o presidente e diretor jurídico da Microsoft, Brad Smith, expressou a grande satisfação da empresa com a decisão: “A decisão é importante por três motivos: ela assegura que os direitos de privacidade das pessoas estão protegidos pelas leis de seus próprios países; ajuda a assegurar que as proteções jurídicas do mundo real se aplicam ao domínio digital; e abre caminho para o desenvolvimento de soluções mais adequadas para lidar com os requisitos de privacidade e execução da lei.”

O que a decisão significa para o material do conselho armazenado na nuvem? Já que as maiores e mais renomadas empresas no mercado de colaboração para conselhos estão sediadas nos EUA, a decisão reforça para os clientes internacionais que informações pessoais e o material confidencial do conselho, quando armazenados fora dos EUA, não poderão ser acessados por órgãos do governo dos EUA por meio de um mandado do Stored Communications Act.

Na verdade, o maior risco para os dados mais confidenciais de uma empresa são as pessoas. Os membros do conselho colocam os dados em risco quando usam ferramentas desatualizadas e não seguras para receber material do conselho. A prática de distribuir livros do conselho em cópias impressas representa um risco muito alto. A perda ou o roubo dessas informações pode resultar em uma série de consequências devastadoras, inclusive perdas significativas tanto financeiras quanto de reputação. De forma semelhante, o compartilhamento dessas informações em arquivos PDF usando contas de e-mail não protegidas pelo firewall da empresa pode expor as informações a uma ampla gama de ataques e hackers cibernéticos.

Os membros dos conselhos são os alvos preferidos de criminosos cibernéticos e, diante de ataques cada vez mais frequentes, mais do que nunca é essencial usar tecnologia segura.

A decisão no caso da Microsoft tranquiliza ainda mais os clientes internacionais do Diligent Boards, a solução líder de portal para conselhos. A proteção dos dados do cliente é nossa maior prioridade e tomamos medidas sérias para assegurar que isso seja oferecido em todos os níveis. Os clientes internacionais podem ter certeza de que estão protegidos de mandados do governo dos EUA sob o Stored Communications Act. Isso ocorre porque os dados dos conselhos de clientes internacionais, a menos que solicitado em contrário, são armazenados em uma infraestrutura de armazenamento de excelência mundial em servidores seguros na Alemanha e no Canadá,que são de propriedade e controlados pela Diligent. Além disso, nosso portal para conselhos obteve a certificação ISO 27001 – o padrão ouro para a gestão da segurança da informação.